Pesquisar este blog

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Imagens Históricas 32: Johnny Weissmuller, o Tarzan



Na imagem acima o ator Johnny Weismuller, o mais famoso Tarzan de Hollywood, prepara-se para um mergulho em uma exibição em piscina olímpica, no ano de 1950. Nessa época ele já estava aposentado do conhecido personagem, mas ainda era lembrado como um grande campeão da natação. Johnny (Johann) Weissmuller nasceu na Romênia em 1904, de uma família de origem alemã, como indica o seu sobrenome. Na época, o território romeno era parte do Império Austro-Húngaro, o qual desapareceu nos tratados assinados após a Primeira Guerra Mundial. Mas, bem antes disso, quando Johnny contava com apenas sete meses de vida a sua família emigrou para os Estados Unidos, país onde o menino acabou adquirindo a sua cidadania.


O gosto pela natação teria começado aos nove anos, quando para se curar da poliomielite o médico lhe recomendou algumas braçadas na piscina e daí em diante não parou mais. Weissmuller tornou-se um atleta e participou dos Jogos Olímpicos de Paris em 1924 (foto acima) e das Olimpíadas de Amsterdam em 1928, tendo conquistado um total de cinco medalhas de ouro, um número recorde para a época. Além disso, ainda obteve um bronze no pólo aquático. No total, Weissmuller estabeleceu 67 recordes mundiais e conquistou 52 campeonatos nacionais, tornando-se um dos maiores nadadores de todos os tempos! 



Após deixar o esporte olímpico, Johnny Weissmuller (na foto acima, em 1940) trabalhou como garoto propaganda de trajes esportivos e modelo, até ser contatado por Hollywood para viver no cinema o personagem criado pelo escritor norte-americano Edgar Rice Burrroughs (1875-1950): Tarzan. O mesmo era um inglês de origem aristocrática, que se vê perdido ainda bebê em meio às selvas da África, após a morte de seus pais. Tarzan acabaria sobrevivendo com a ajuda da macaca Kala e se impõe diante de uma natureza que lhe é hostil. Uma típica história dos tempos do imperialismo europeu no continente africano, que reforça a crença na suposta superioridade e inteligência do homem branco.



Bem, o homem macaco já havia tido cinco outros intérpretes, incluindo Elmo Lincoln, o primeiro a viver o personagem, ainda no cinema mudo (foto acima de 1918). O ator Buster Crable, conhecido por incorporar o herói Flash Gordon, também assumiu Tarzan (não de forma oficial), um ano depois de Johnny Weissmuller em 1933.  





No conhecido estúdio da Metro Goldwin Mayer (MGM) Johnny Weissmuller fez seis longas como Tarzan entre 1932 e 1942, quando teve o auge de sua popularidade. O primeiro foi "Tarzan, o Homem Macaco" de 1932 (nas imagens acima, um cartaz promocional e uma cena do filme). 



Nas primeiras películas feitas para os estúdios MGM, os personagens de Tarzan e sua namorada Jane (interpretada por Maureen O'Sullivan, mãe da atriz Mia Farrow e portanto, ex-sogra do diretor Woody Allen), a inglesa que acabaria por abandonar tudo e viver com a sua grande paixão na África, apareciam em trajes minúsculos e em cenas bem tórridas para os padrões cinematográficos da época. No segundo filme da série, "Tarzan e sua Companheira" de 1934 (na imagem acima, cena do filme com Jane usando pouca roupa e o cartaz promocional da produção) o casal surge em uma cena que mais se assemelha a um balé aquático e com Jane praticamente nua. Isso porque, até esse momento, ainda não estava em vigor o conhecido Código Hays, que impôs normas e disciplinou as produções hollywoodianas, sobretudo no que dizia respeito às referências sexuais. Por exemplo, o personagem Boy (vivido por Johnny Sheffield), que apareceu no filme "O Filho de Tarzan" de 1939 era adotado, uma vez que pareceria estranho ao público da época que Tarzan e Jane tivessem um filho sem serem casados! 



A ultima produção da série Tarzan pela MGM foi "Tarzan Contra o Mundo" lançada em 1942. Curiosamente nesse mesmo filme Elmo Lincoln, o já esquecido primeiro Tarzan, faz uma pequena aparição como figurante, que não lhe é atribuída nos créditos finais. Uma fala de Tarzan ao chegar a Nova Iorque (em busca de Boy, que tinha sido levado por um circo) e ver os prédios de Manhattan, ficou famosa: "Esta é uma selva de pedra". 



Já um pouco fora de forma, Johnny Weissmuller ainda viveria Tarzan em mais seis filmes do produtor Sol Lesser, o qual adquiriu os direitos do personagem para os estúdios da RKO, do magnata da aviação Howard Hughes (na imagem acima o cartaz de "Tarzan e a Mulher Leopardo" de 1946). Weissmuller encerrou  definitivamente a sua fase como homem macaco em 1948, com o filme "Tarzan e as Sereias" filmado em Acapulco, no México, cidade que escolheu para viver já no final de sua vida e onde se encontra enterrado. 


A carreira cinematográfica do ex-campeão olímpico ainda encontrou uma sobrevida com o personagem Jim das Selvas em treze filmes e a partir de 1955 como seriado de televisão com um total de 27 episódios (na imagem acima, cartaz do primeiro filme de Jim das Selvas com Weissmuller de 1948). Foi por esse seriado que ele se tornou conhecido do público brasileiro na década de 1960 e dos mais jovens que não chegaram a vê-lo no cinema como Tarzan, como este que vos escreve. Com o fim da série em 1958, Johnny Weissmuller deixou sua carreira de ator e apenas fez aparições esporádicas em produções menores. Ator? Um exagero qualificá-lo como tal, uma vez que era péssimo intérprete, tanto que os roteiristas sempre lhe atribuíram frases monossilábicas, no gênero "Me Tarzan, You Jane"
Um fato curioso a respeito de Weissmuller foi contado por seu filho Johnny Weissmuller Jr. no livro "Tarzan, my father". No final de 1958 o ator encontrava-se em Havana, Cuba, participando de um torneio de golfe (esporte que apreciava muito) quando foi abordado pelos guerrilheiros cubanos em plena revolução que derrubou a ditadura de Fulgêncio Batista e levou Fidel Castro ao poder. Weismuller se encontrava em um campo de golfe e temendo ser preso, disse aos guerrilheiros que era o Tarzan. Sem convencer os mesmos, o ator não teve dúvidas, resolveu soltar o famoso grito que utilizava nos filmes. Em seguida um dos soldados disse para os demais: "Es Tarzan! Es Tarzan de la jungla!" (É o Tarzan! Tarzan das selvas!). Imediatamente, Weissmuller foi escoltado até o hotel e logo depois deixou a ilha caribenha sem ser importunado! Além desse acontecimento, Johnny Weismuller ainda foi lembrado pelos Beatles que o incluíram na capa do famoso álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band de 1967. 
Em 1984, aos 79 anos, Johnny Weissmuller faleceu vítima de edema pulmonar, passando a ser lembrado como o mais famoso intérprete de Tarzan da história do cinema. E também como um grande atleta olímpico...
Crédito das imagens: 
Foto de Johnny Weissmuller em 1950: 1950s Decades of the 20th Century. Getty Images. Köneman, 2004, pag. 299.
Cartaz do filme "Tarzan Contra o Mundo":
https://hollywoodrevue.wordpress.com/2012/08/04/tarzans-new-york-adventure-1942/
Fotos de Johnny Weissmuller em 1928 e 1940: Wikipédia.
Foto de Elmo Lincoln: Pinterest.
Imagens e cartazes dos filmes "Tarzan, o Homem Macaco", "Tarzan e sua Companheira", "Tarzan e a Mulher Leopardo" e "Jim das Selvas": Diccionario Del Cine de Aventuras de Javier Coma. Barcelona, Plaza & Janés Editores, 1994, páginas 106, 194, 195 e 217. 
Foto de Tarzan e Jane no filme "Tarzan e sua Companheira":
https://www.ebay.com/itm/Johnny-Weissmuller-Maureen-O-Sullivan-Tarzan-Foto-/122708774202?_ul=HN

Nenhum comentário:

Postar um comentário