Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Imagens Históricas 28: As Sandálias do Faraó




Um modelo bem original de sandálias! Já imaginaram podermos ter como estampa na palmilha desse calçado as pessoas ou indivíduos que mais odiamos, com o intuito de obtermos a impressão de estarmos permanentemente pisando sobre os mesmos? Pois foi exatamente essa a ideia de quem confeccionou o artefato histórico (imagem acima), que pertenceu ao famoso faraó Tutancâmon, que viveu há mais de 3 mil anos no Antigo Egito. Famoso em função da descoberta de sua tumba, quase intacta, em 1922 e dos mais de 5 mil objetos e utensílios que foram deixados na mesma, para que o rei pudesse usufruir, com o máximo conforto, de sua outra vida após a morte (os egípcios acreditavam piamente nisso). 
No caso em questão, as sandálias de Tutancâmon, este que vos escreve comparou as estampas desse par com outras imagens, sobretudo de alguns baixos relevos dos templos de Ramsés II, Ramsés III e em desenhos encontrados na própria tumba de Tutancâmon. Parecem não existir dúvidas a respeito da origem dos indivíduos que estariam sendo permanentemente pisoteados pelos pés sagrados do rei do Egito, em suas sandálias revestidas de ouro. As figuras representam populações que foram subjugadas ou que se tornaram inimigas do governo egípcio no decorrer do período conhecido como Novo Império (1550 a 1070 a.C.), durante o qual governaram os reis da 18ª Dinastia (cada dinastia representa uma linhagem familiar), da qual fez parte Tutancâmon. Um desses reis, Tutmés III, que governou entre 1479 a 1425 a.C. (antes de Tutancâmon), iniciou uma fase expansionista em direção ao Oriente Médio e ao interior da África (Núbia e Sudão). Não é por outra razão, que Tutmés III ficou conhecido como "o Napoleão egípcio". 
Nas sandálias observadas acima, do lado direito, temos como prisioneiros de guerra, indivíduos de origem africana (núbios ou sudaneses), provenientes do interior do continente, seguindo o curso do rio Nilo, em direção ao coração da África, onde hoje está situado o Sudão. 


Em outras representações, os africanos ou núbios também aparecem com a cabeça adornada com uma pluma (como na imagem acima, gravada em um descanso de pé do próprio faraó Tutancâmon). A Núbia foi submetida ao controle egípcio nessa época, inclusive com a presença de um governador representando o faraó. 


Já do lado esquerdo das sandálias, dois indivíduos de origem síria, com barba comprida e ondulada, além de uma tiara sobre a cabeça (como na imagem acima, do mesmo descanso de pé do faraó Tutancâmon). 
Além desses inimigos do Novo Império (inimigos, dependendo do ponto de vista, claro) temos, ao que parece, nas extremidades do par de sandálias, a representação dos arcos, pelos quais eram disparadas as flechas, uma das armas mais importantes da infantaria egípcia, quase profissionalizada nessa fase expansionista do Antigo Egito. 
Muito provavelmente, embora o faraó Tutancâmon tivesse os citados indivíduos como inimigos, jamais os enfrentou nos campos de batalha. As suas condições físicas não permitiriam que isso acontecesse. Bem, trata-se apenas de mais um detalhe da postagem que estamos preparando sobre o faraó Tutancâmon e o seu imenso tesouro, que em breve, iremos publicar. Não deixem de ver...
Crédito das imagens:
Foto das sandálias de Tutancâmon: 
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2016/08/7-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-tutancamon.html
Fotos dos desenhos do descanso de pé de Tutancâmon: O Antigo Egito. Biblioteca de História Universal Life. Livraria José Olympio Editôra, 1969, pags. 64 e 65. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário